Andar e trabalhar em simultâneo melhoram a produtividade

Ao contrário do que algumas pessoas pensam, não é necessário ser-se membro de um ginásio para se adquirir as vantagens de saúde através do exercício físico. Caminhar é algo que se faz no dia-a-dia inconscientemente – enquanto se faz tarefas em casa ou enquanto faz o trajeto para o trabalho – fazendo-a assim uma das mais subestimadas maneiras de fazer exercício físico. No entanto, a ciência demonstrou que apenas ao se caminhar, melhora-se a saúde tanto física como mental.

A melhor parte é o facto de cada passeio não lhe consumir duas horas do seu tempo, ou não ser necessário uma caminhada montanhosa ou complicada para sentir as vantagens de uma caminhada, física ou mentalmente. “Caminhar é uma maneira conhecida de se obter vantagens físicas fantásticas, mas também uma caminhada de 20 minutos pode ter um grande impacto mentalmente”, Stephanie Blozy, uma especialista em ciência do exercício e a dona da Fleet Feetde West Hartford, CT, afirma ao Bustle. “À medida que anda, todo o seu corpo acorda, em especial a sua mente.”

A sério – tudo o que precisa é de 30 minutos livres no seu dia para conseguir receber os benefícios de caminhar. Segundo a ciência, estas são as 8 maneiras como uma caminhada de 20, 30 minutos pode melhorar a sua mente. 

1. Diminui as probabilidades de desenvolver uma depressão

Se precisava de motivação para calçar os ténis e caminhar, faça-o pela sua saúde mental: tal como o The Telegraph relatou em Abril, um estudo desenvolvido pela King’s College Londonconcluiu que fazer exercício apenas 20 minutos por dia pode diminuir a probabilidade em um terço de desenvolver uma depressão. O estudo determinou que qualquer atividade moderadamente aeróbica, como andar de bicicleta ou andar em passo rápido, pode melhorar a sua saúde mental.

2. Melhora a sua função cognitiva de uma forma geral

Harvard Healthreportou em 2016 vários estudos que descobriram que apenas 20 a 30 minutos de exercício diário aeróbico melhora a função cognitiva de uma forma geral. Os participantes do estudo que praticavam esses mesmos exercícios saíam-se melhor em testes e tinham tempos de reação mais rápidos e melhores. 

3. Caminhar liberta endorfinas 

Tal como todas as formas de exercício, caminhar impulsiona o cérebro a libertar endorfinas – uma substância neuroquímica que melhora a sua saúde mental, diminui a sua sensibilidade ao stress e à dor, e consegue ainda fazê-lo sentir eufórico. Um questionário realizado em 2018 no Reino Unido percebeu que bastava às mulheres 10 minutos de exercício para sentir esta “adrenalina” provocada por endorfinas que melhoram o humor.

“Tornar-me consistente com a minha rotina de caminhar é também um excelente boostmoral. Uma pessoa não consegue evitar sentir-se orgulhosa de si mesma quando conquista a sua proeza ou objetivo diário – o que, por sua vez, inspira a manter aquela rotina viva no dia seguinte e assim adiante.”, afirma Blozy. “Aquelas endorfinas baseadas no sucesso irão mantê-lo motivado noutras áreas da sua vida, tanto a nível pessoal, como a nível pessoal”.

4. Também liberta a proteína BDNF

Sciende Dailyexplica que a “Brain-Derived Neurotrophic Factor” (BDNF, em português, fator neurotrófico derivado do cérebro) é uma proteína que é “essencial para o desenvolvimento neurológico e para as funções de sobrevivência, plasticidade sináptica e cognitiva.” De uma forma simples, é extremamente importante para a sua saúde mental, e a desregulação da BDNF está associada a problemas neurodegenerativos, como o Alzheimer.

Como um estudo publicado em Janeiro mostrou, caminhar por 30 minutos numa intensidade moderada melhora a produção da BDNF nos cérebros de pacientes pós-AVC. Assim, caminhar num passo um pouco mais acelerado pode ser um elemento chave para a manutenção de uma mente saudável.

5. Ajuda com o cansaço físico e psicológico

Um estudo realizado em 2008 na University of Georgiamostrou que apenas 20 minutos de exercício numa intensidade baixa, como caminhar, pode diminuir drasticamente a fatiga. De facto, os participantes do estudo que se exercitavam numa intensidade baixa durante 20 minutos, três vezes por semana, mostravam uma redução de 65% dos seus níveis de fatiga.

6. Reforça o seu hipocampo

Se tem problemas de memória, caminhar pode ser uma maneira de limpar a “névoa” cognitiva: tal como reportado pela NPR, caminhar, ainda que apenas um pouco, pode melhorar o tamanho do seu hipocampo – a região do cérebro que tem um papel fundamental em formar e guardar as memórias, bem como os sentimentos associados a essas mesmas memórias.

7. Melhora a criatividade

Bloqueado num trabalho ou projeto importante? Mexer-se pode ser a cura para essa falha criativa. Blozy afirma que, mesmo depois de caminhar apenas durante 20 minutos, “Uma pessoa torna-se mais criativa e consegue pensar melhor, o que torna este exercício no antídoto perfeito para o “writer’s block” (bloqueio de escritor/bloqueio criativo). Um estudo de Stanford publicado em 2014 confirma isto, tendo em conta que descobriu que caminhar melhora os resultados criativos de uma pessoa, em média, em 60%.

8. Caminhar melhora o fluxo sanguíneo no cérebro

CBS Newsreportou em 2017 que um estudo recente descobriu que 20 minutos de caminhada melhoram o fluxo sanguíneo no cérebro. E, tal como para qualquer grande órgão, a melhoria da circulação é bastante importante para a saúde tanto do seu cérebro, como do seu corpo. Tal como o site Brain MD Healthexplicou, o fluxo sanguíneo ajuda a transportar os nutrientes às células e leva consigo as toxinas. 

Caminhar pode não fazê-lo suar como faz correr ou uma aula de pilates, no entanto não significa que seja um exercício físico menos eficiente. Tirar vinte minutos do seu dia para caminhar à volta do seu bairro ou para o parque mais próximo, ou mesmo escolher andar em vez de apanhar o autocarro para casa, manterá o seu cérebro saudável a longo prazo.


Originalmente publicado em Inglês em Bustle a 16 de agosto de 2019 por Kyli Rodriguez-Cayro