Eles estão no meio de nós

Aconteceu de novo. Vai voltar a acontecer. O terror cego e cobarde atingiu o coração político da Europa. Em Novembro tinha sido Paris, símbolo ocidental do amor e da liberdade. Agora Bruxelas, sede ícone da união dos europeus, a maior conquista de sempre da democracia.

Uma só fotografia  faz a síntese do terror. O jornal belga La Dernière Heure mostra os presumíveis autores do ataque. 3 homens, aparentemente normais, minutos antes do atentado. São como nós. Somos iguais a eles.

Os ataques de Paris também têm a mesma conotação simbólica. França é o bastião da liberdade da Europa. Nessa altura quiseram provar que a liberdade só dura enquanto houver segurança e que a segurança só dura enquanto o Estado Islâmico quiser.

Desengane-se quem pensa que os terroristas são detentores de pensamentos básicos. Os terroristas têm sempre uma agenda e uma mensagem a passar, a nós compete-nos ler as entre linhas e reagirmos da melhor forma possível, ou seja, rejeitando o medo. Viva a liberdade, viva a segurança, viva a Europa!