Em defesa da TAP 

Por André Serpa Soares | sobre uma  notícia(?) publicado hoje na imprensa


“TAP é a 5ª pior companhia do mundo”, é hoje a manchete dum jornal diário português.

Parece estúpido estar a puxar pelo assunto no facebook, uma vez que lhe dou a projecção que, só pelo jornal em causa, provavelmente não terá.

Mas é tão mau o estado do jornalismo em Portugal, que não posso deixar de o fazer.

Afinal, é a “5ª pior companhia do mundo” em quê?

– Em satisfação do cliente? Não, aí é das melhores e, segundo notícias recentemente publicadas nos Estados Unidos (reparem bem, nos Estados Unidos), a TAP até é a 4ª companhia aérea mais “amada” do mundo nas redes sociais. Mas isso, claro, não mereceu mais que umas breves em muito poucos dos meios de comunicação social portugueses.

– Em segurança de voo? Não, também aí está no TOP10 das mais seguras do mundo.

– Em pontualidade? Também não, nos últimos meses a TAP tem-se cotado como uma das companhias mais pontuais do mundo. Leram bem, das mais pontuais do mundo.

Então, mas afinal, a primeira página de um jornal diário diz que a “TAP é a 5ª pior companhia do mundo” porquê?
Parece que há uma empresa startup que cobra aos clientes 25% das indemnizações que consegue obter das companhias aéreas que diz que a TAP é a 5ª companhia que mais tempo demora a responder a reclamações.

Nada disso é confirmado por autoridades credíiveis como os centros e institutos nacionais e europeus de apoio ao consumidor. Sim, esses que não cobram nada e ajudam os consumidores. Mas que também não recorrem ao “vale tudo” para obter publicidade à borla.

Que haja empresas que tentem tudo para obter a notoriedade que lhes permita chegar a mais clientes incautos, cobrando-lhes 25% da indemnização que conseguirem sacar, é uma coisa.

Que haja jornalistas e jornais que embarquem nesta fantochada, mesmo depois de tudo isto lhes ter sido explicado, é outra bem diversa e muito, muito triste.