Não há grutas no Burundi, nem vergonha nos jornais

No Burundi há 5 milhões e 300 mil crianças com fome. E zero grutas.

45% da população do Burundi tem menos de 14 anos. Quase metade dos 12 milhões de habitantes desse desgraçado país africano são crianças pequenas. Como aquelas que há nas nossas casas. Adolescentes! Putos!

Fosse aqui na Europa, andavam agora no 9º ano, a fazer exames de matemática e português, entre greves de professores e protestos sociais. Mas lá no Burundi, na terra dos herdeiros das memórias trágicas da guerra e da colonização belga, cada mulher tem 6 filhos e cada um dos 11.466.756 burundianos vive com menos de 800 dólares por ano.

Se fizermos as mesmas contas que tornaram célebre o agora secretário-geral das nações desunidas e nosso Guterres, deixa ver, cada um, por dia, tem… a assombrosa quantia de 1,83 euros. Fui ao supermercado e encontrei preços a condizer numa caixa de chicletes e num pacote de batatas fritas, dos pequenos.

No Burundi há 5 milhões e 300 mil crianças com fome. E zero grutas.

CONTINUAR A LER AQUI