Frio

Se fossem borboletas eram antes do casulo. Seres ao contrário, antes de o serem, como pescadas piadas de lareira. Acho que nem existem umas assim, na vida dos meninos de agora, tap tap tap, a jogar à bola sem bola, a falar sem boca, a ouvir em silêncio as coisas que lhes parecem boas só porque não têm de se responsabilizar por elas.


 

Uma prosa palimpsesto sobre  fotografias de Antoine Geiger