Ser abrigo

Lá fora está frio.
Encosto a mão da vidraça e grita frio o vidro duplo na mão que passa.
Saliento primeiro o lado de dentro que não sente e fecho os olhos. Estou contente. Mas devia ser mais expedito que hoje o frio mata.
Devia sair para ajudar ali. Eu a eles, os que vejo, não são a estatística das noticias. É infortúnio que tirita.
Ser abrigo é fazer mais que eu agora.